Navigation

Biografia

Português com orgulhosa ascendência africana pelo lado materno.

Assina por vezes como “ACASO” - uma espécie de provocação e convite à reflexão colectiva, com vários significados: o mais simples por detrás das iniciais do seu nome, Armando CArdoso SOares.

Dedica-se à formação e consultoria a vários níveis, presidindo aos centenários Bombeiros Voluntários do Dafundo desde 2009, bem como tendo fundado e presidindo actualmente a Associação Artística e Cultural Luchapa. Ambas em regime de voluntariado.

Foi deputado municipal em Oeiras, adjunto do Presidente da Câmara Municipal e deputado da Assembleia da República na XIII legislatura pelo PSD em substituição, mas afirma-se com um pensamento crescentemente independente e apartidário, cansado que se diz de “uma forma de fazer política transversal a todos os partidos, que não cativa, não resolve os problemas das pessoas e não as conduz por um sonho colectivo realista e alcançável, através do mérito e da igualdade de oportunidades”.

Licenciado em sociologia pela Universidade Nova de Lisboa, com um minor em Ciências da Comunicação é ainda bastante interessado por terapias não convencionais desde sempre, sendo terapeuta credenciado de massagem de som com taças tibetanas e gongos, (academia portuguesa representante do Peter Hess Institute, sediado em Uenzen – Alemanha).

Tirou um curso de fitoterapia em medicina tradicional chinesa e medicina ocidental, na Associação Portuguesa de Medicina Tradicional Dragão Dourado e encontra-se na fase final da pós graduação em “alternative medicines”, na Indian Board of Alternative Medicines, situada em Calcutá, na Índia. 

É praticante assíduo de meditação, a caminho de ser vegetariano,  leitor e escritor compulsivo, bem como ainda audiófilo militante. 

Compositor, letrista e percussionista há mais de duas décadas, estudou bateria na Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal. Mais tarde, apaixonou-se pelo piano e pela música electrónica, concluindo o curso de produção musical e de DJ, na Escola Dancefloor. 

Teve várias funções de liderança na JSD e no PSD, participando nos mais diversos fóruns de discussão.Na Juventude Social Democrata integrou a Comissão Política Nacional, presidindo à Comissão Nacional de Ensino Superior e no PSD desempenhou funções de Conselheiro Nacional várias vezes, tendo ficado para a história como o primeiro Presidente de Mesa da Assembleia de Militantes da concelhia de Oeiras.

Nos seus tempos de estudante, foi presidente da Associação de Estudantes da Escola Secundária de Linda-a-Velha e mais tarde, já no ensino superior, presidente da Associação Académica do ISCTE e membro da Assembleia da Faculdade.

É assumidamente contra o acordo ortográfico assinado, recusando-se a escrever nos termos do mesmo, uma vez que defende que entre inúmeras falhas graves, o referido acordo não respeita as mais básicas regras fonéticas, nem acompanha sequer a evolução da língua, introduzindo mudanças caricatas e absurdas.